Picos(PI), 18 de Junho de 2018
Geral
Primos são condenados a 14 anos de prisão por morte de empresário em Marcolândia
O crime aconteceu em março do ano passado
Em 08/09/2017 por Jesika Mayara
Tamanho da fonte - +

(Foto: Cidades na Net)

O Tribunal Popular do Júri da Comarca de Marcolândia julgou na terça-feira (5) os réus Francisco de Sousa Silva, vulgo Paquito, e Maria de Lourdes Ferreira, a Lourdinha, acusados de terem, de forma cooperada, assassinado o empresário Reginaldo Gomes Ferreira.

O crime, que teve grande repercussão na cidade de Marcolândia e no Estado, ocorreu na madrugada do dia 30 de março de 2016, por volta das 2h, na Pousada Portuguesa, de propriedade da vítima. Conforme denúncia do Ministério Público, a vítima dormia na pousada quando o acusado Francisco bateu na porta do quatro 103. Ao abrir, Reginaldo foi atingido por três golpes de faca. A vítima ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu às lesões e faleceu. Antes de morrer, Reginaldo delatou o autor do crime.

Relembre o caso

Mulher é presa acusada de mandar matar o marido

Com base nas informações prestadas pela vítima antes de morrer, os dois foram presos pela Polícia Militar horas depois do ocorrido. Lourdinha foi apontada como a mandante, e Francisco o autor. Depois de um ano e seis meses presos, os réus foram submetidos a julgamento em uma sessão que durou cerca de 15 horas, presidida pelo juiz Clayton Rodrigues de Moura Silva.

Já era noite quando acusação e defesa iniciaram os debates. A acusação, feita pelos promotores de Justiça, Tallita Luzia Bezerra de Araújo e Jorge Luiz da Costa Pessoa, e pelo advogado Francisco Casimiro de Sousa Melo, sustentou a tese de homicídio qualificado e pediu a condenação dos réus. A defesa do denunciado Francisco de Sousa Silva, feita pela defensora pública Karolyne Duarte Chaves Ellery, sustentou a tese de legítima defesa e de forma subsidiária, pelo reconhecimento do homicídio privilegiado e inexistência das qualificadoras. Já a defesa da ré Maria de Lourdes Ferreira, feita pelos advogados Luiz Fernando Muniz Coelho e Leonardo de Lima Melo, alegou inexistência de autoria e, de forma subsidiária, pela inexistência de qualificadores.

O Conselho de Sentença, por maioria de votos, acatou a tese da acusação. Somente no início da madrugada o juiz presidente da sessão do Tribunal Popular do Júri, Dr. Clayton Rodrigues, leu a sentença dos réus.

Os primos Maria de Lourdes Ferreira e Francisco de Sousa Silva foram condenados a 12 anos de reclusão pela prática do crime de homicídio qualificado. A condenação foi aumentada em mais 2 anos em virtude do motivo fútil e emprego de recurso que impediu a defesa da vítima, totalizando em 14 anos.

A condenação foi comemorada pelos familiares da vítima que assistiram a todo o julgamento vestidos em camisas pretas com frases que diziam “Calaram seu sorriso”, e “#Tô feliz, JUSTIÇA”. O julgamento aconteceu na Câmara Municipal e foi acompanhado por um grande número de pessoas.

Fonte: Cidades na Net

 


   

Facebook
Enquete

picos40graus.com.br - 2015 - 2018 - © - Todos os direitos reservados.
Av. Getúlio Vargas, 484 - Apto 202 - 2º Andar
Centro - Picos - Piauí - CEP: 64.600-002
Email: contato@picos40graus.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade do Picos 40 Graus.
Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria
e são de inteira responsabilidade de seus autores.